EL FONDO DE LA SOMBRA

2013

 

 

Tengo fascinación por los relatos que mis padres me han contado desde niña y que, con el paso de los años, se han ido transformando y obteniendo en cada juglar su propia versión. Tengo además fascinación por el lugar en que se desarrollan, que es también mi lugar de origen, Los Tuxtlas en Veracruz; una zona llena de magia, misticismo, olor a tabaco y humo de brujos. Esta es una parte de la historia de mi familia: contradicciones, disfuncionalidad, nada clásica.
 

Me hace reflexionar sobre las raíces humanas, que nunca se van aunque se disimulen o se contengan muchos años o toda la vida. Seguimos siendo salvajes, básicos, luchando por la sobrevivencia, es decir: si hay que matar, matas; si hay que tener sexo con una adolescente, lo tienes; si hay que ser mamá a los 14 años, pues lo eres, si hay que odiar, si hay que amar, pues odias o amas porque así lo dicta la entraña y no la moral.

 

 

 

THE BOTTOM OF THE SHADOW

2013

 

The stories I was told by my parents when I was a child have always fascinated me and as the years go by, they have transformed and they have assumed a different version according to each minstrel. I am also attracted by the place where they take place for it is where I come from: Los Tuxtlas in Veracruz. This is a magical area, full of mysticism, surrounded by the smell of tobacco and sorcerers’ smoke. This is a part of my family’s story: contradictions, disfunctionality, not at all typical.

 

I am confronted with something that in a way maybe I shouldn’t do or in any case see. It allows me to reflect on human roots, that never disappear although they may try to hide, or we may carry them along with us for many years or our entire lives. We continue being wild, basic, fighting for our survival. In other words if you must kill, you kill; if you must have sex with an adolescent you just do; if you must be a mother at 14 years of age, well then you just are; if you must hate or love, you hate or love because this is how our insides work and not our moral side.

 

 

 

O FUNDO DA SOMBRA

2013

 

Projeto fotográfico que surge como segunda parte de um trabalho anterior chamado Ninfa, que nasce através do exercício de escrever as histórias que ouvi desde criança na minha família, onde os temas recorrentes são a natureza, o sangue, a paixão, o realismo mágico e as mulheres jovens com uma infância erotizada que, além disso, uma forma ou outra, estão relacionadas com a morte.

Tenho fascinação por estes relatos que, com o passo dos anos, foram se transformando e gerando em cada lugar sua própria versão. Tenho também especial predileção pelo lugar em que se desenvolvem, que é também o meu lugar de origem, Los Tuxtlas, em Veracruz; uma zona cheia de magia, misticismo, cheiro a tabaco e fumaça de bruxos.

 

Me interessa o caos e as historias de contradições e disfunções, que não são as clássicas e que encaixam bem na maioria dos setores de uma sociedade chamada de “ideal”. Todo isso me confronta comigo mesma com algo que talvez não deveria estar fazendo ou que em todo caso, estar vendo. Me faz reflexionar refletir sobre as Raízes humanas, que nunca desaparecem mesmo que se dissimulem ou se contenham durante muitos anos ou a vida toda. Seguimos sendo selvagens, básicos, lutando pela sobrevivência, ou seja: se temos que matar, matamos; se temos que ter sexo com uma adolescente, o temos; se temos que ser mãe aos 14 anos, então o somos e se temos que odiar e se temos que amar, então odiamos ou amamos porque assim o dita a entranha e não a moral.

 

 

PROYECTO APOYADO POR EL FONDO NACIONAL PARA LA CULTURA Y LAS ARTES, MÉXICO 2012-2013